>>>Guia definitivo para festivaleiros de primeira viagem

Guia definitivo para festivaleiros de primeira viagem

A partir de julho, a agenda festivaleira começa a esquentar. E para você não ser pego de surpresa, confira nosso manual de sobrevivência básico para a temporada. Boa sorte e boa música.
N

ão importa se é sua primeira vez ou se as pulseiras de edições passadas já chegaram ao cotovelo. Há coisas que se repetem em todos os festivais, sejam de reggae ou de música eletrônica. E como bons festivaleiros com anos de experiência (e de filas) nas costas, compartilhamos com você os melhores conselhos para que possa se divertir ao máximo.

Burning Man
Foto: Ellie Pritts
1. É preciso beber água…

Ainda mais se estiver no meio do deserto de Black Rock, Nevada. Não se deixe hipnotizar pelas gigantescas esculturas do Burning Man e não se esqueça de se hidratar. Nesta cidade temporária, que será construída de 27 de agosto a 4 de setembro, é fácil perder a noção do tempo entre instalações artísticas e veículos mutantes (os únicos permitidos além da bicicleta). Apesar de não se identificar como festival mas sim como uma “experiência comunitária”, o Burning Man é um dos acontecimentos mais esperados. O sentimento de liberdade e autoexpressão radical dos burners contagiou até os cérebros de Silicon Valley. E no deserto não há Wi-Fi.

Splendour in the Grass
Foto: SavannahVanderNiet
2. Use o look certo

Com certo, estamos querendo dizer louco / fashion / discreto / como-realmente-quiser. Não é necessário levar o guarda-roupa na mochila, mas também não precisa passar três dias com a mesma camiseta, mesmo que seja do seu grupo favorito. A maioria dos festivais costuma incluir informações sobre o outfit recomendado nas FAQs do site. Como o Splendour in the Grass (Byron Bay, de 21 a 23 de julho), que acontece em pleno “inverno” australiano. A orientação é usar chapéus, protetor solar e botas de chuva ao mais puro estilo Glastonbury. Um pouco de tudo, já que há vida além das ondas e do surfe na Austrália.

Sziget
Foto: Sziget.hu/Sándor Csudai
3. Não julgue o próximo

Esta é a regra mais importante, especialmente desde que os festivais se transformaram em a) desfile de moda; b) festa à fantasia. Em Sziget, conhecida como “Ilha da Liberdade”, essa filosofia é levada a sério. O festival realiza sua 24ª edição entre os dias 9 e 16 de agosto em uma ilha do Danúbio em Budapeste. Foi escolhido como o melhor festival da Europa em duas ocasiões graças ao bom feeling dos seus szitizens, que têm até passaporte.

Se quiser evitar polêmicas, fuja de acessórios étnicos como enfeites de pluma, muito criticados no Coachella por apropriação cultural. Da mesma forma, esqueça as coroas de flores. Não estamos em 2012.

Rototom Sunsplash
Foto: Luca Valenta
4. Explore o festival e descubra que é muito mais do que música

Os festivais de hoje em dia são muito mais do que uma sucessão de shows em um palco gigante. Agora, incluem desde exposições de arte até programas de ioga e de fitness, como as aulas de zumba e de artes marciais do Rainforest World Music Festival do Bornéu (14 a 16 de julho). No Rototom Sunsplash (Benicàssim, de 12 a 19 de agosto), a costa espanhola recebe toda a energia da Pachamama em um espaço de crescimento pessoal e reconexão com a Terra Mãe. Também abriga um circo e um espaço para brincar em família, pois os festivais também são lugar para crianças.

Lollapalooza
Foto: Greg Noire
5. Escolha seus acompanhantes com cabeça

Há muitos tipos de colegas de festival: o que quer estar sempre na primeira fila, o que toma banho de manhã e de tarde, o que sempre tem tudo à mão… O mais importante é estar de acordo quanto aos grupos que serão vistos e que todos repassem o programa para confirmar os horários de cada apresentação. Em grandes festivais como o Lollapalooza (Chicago, de 3 a 6 de agosto) ou FIB (Benicàssim, de 13 a 16 de julho), com destaques como Muse, Red Hot Chili Peppers ou Arcade Fire, o normal é que você enfrente o pior que pode acontecer com um festivaleiro: que seus grupos favoritos toquem ao mesmo tempo.

Artigos relacionados

A ilha da felicidade

De 28 de julho a 6 de setembro, a ilha de Obonjan, na Croácia, só tem uma missão: deixar-nos felizes.

Cork ao ritmo de jazz

Cerveja preta e muita música: dois dos principais símbolos da “ilha esmeralda”, como a Irlanda é conhecida, compõem o Cork...

Aarhus: para quem pensa duas vezes

Será a Capital Europeia da Cultura 2017. Ao percorrer os espaços culturais de Aarhus, você vai notar que esta cidade...

Austin, a filha rebelde do Texas

Define-se a si mesma como “uma mistura entre a boa educação e um certo toque de fanfarrice do Texas”. Austin...