>>>Uma selfie no abismo
Foto: Leonardo Pereira

Uma selfie no abismo

Victoria e Leonardo são um casal comum. Gostam de tirar fotografias nos lugares que visitam, mas sobretudo quando estão à beira de um precipício.
Mais de 79 milhões de fotografias publicadas no Instagram têm a hashtag #selfie, que significa autorretrato. São sobretudo os jovens, entre os 16 e os 25 anos, aqueles que mais se interessam por difundir nas redes sociais esta nova forma de popularidade. As fotografias mais comuns retratam a roupa bonita que vestem em determinado dia, o lugar fantástico onde estão ou a comida deliciosa que têm pela frente. Mas também existe outro tipo de selfies que, todos os dias, conquistam novos seguidores. São as fotografias de espetáculo. As que procuram o ângulo mais fascinante, acima de qualquer outra coisa, mesmo do senso comum.
Leonardo e Victoria no Parque Nacional do Ibitipoca, no Brasil.
Foto: Leonardo Pereira

Filosofia de vida

“Um dia a tua vida passará diante dos teus olhos. Faça com que valha a pena olhar”, comenta Leonardo (@leonardopereira1), no Instagram, a fotografia onde o vemos acima da Pedra da Gávea.

A acrofobia, o medo das alturas, é uma anedota para estes amantes da fotografia radical. De máquina fotográfica na mão, sobem ao cimo de montanhas e edifícios à procura da selfie mais arriscada e inesperada. Uma tendência que faz da fotografia um esporte arriscado, apenas acessível aos mais aventureiros. Mas cada vez são mais os que aderem a esta forma particular de hobby e muitos deles transformaram-na mesmo num estilo de vida.
Leonardo Pereira, um brasileiro de 23 anos, tem mais de 37 mil seguidores no Instagram. Foi por duas vezes campeão de mountain bike. Embora só tenha se tornado fã da escalada há cerca de um ano, o Rio de Janeiro viu crescer a sua ambição para conquistar as montanhas sem recurso a qualquer tipo de utensílio de segurança. “Sinto-me seguro no perigo”, confessa.
Victoria compartilha esta paixão pela adrenalina.
Foto: Leonardo Pereira
Leonardo conheceu Victoria na Pedra da Gávea, o maior monólito costeiro do mundo. Desde então tem sido a sua companheira em todas as aventuras. A confiança de Victoria em Leonardo chega ao ponto de se pendurar sobre o vazio, presa apenas pela mão do companheiro. A próxima aventura dos dois será uma viagem à China e ao Japão e as aventuras da viagem serão publicadas no Instagram para voltarem a deixar os seus seguidores sem respiração.
Selfie no Pico da Bandeira, o terceiro ponto mais alto do Brasil.
Foto: Leonardo Pereira
Leonardo e Victoria não são os únicos apaixonados pelas alturas. Ivan Kuznetsov, @Beerkus no Instagram, sobe aos edifícios mais altos de cada cidade do mundo, com o único objetivo de imortalizar o momento. Defende que o risco não é uma forma de menosprezar a vida, mas o contrário: “isto é a vida, é a forma de me expressar e aprecio esta atividade mais do que qualquer pessoa”.
A vida deve ser muito diferente quando vivida no alto do mundo. Para os mais cautelosos fica a possibilidade de desfrutar das paisagens e sentir a adrenalina através das contas de Instagram destes corajosos.

Artigos relacionados

Quem matou o hipster?

Os muppies querem dar destaque às barbas e aos óculos de massa. Se vão inundar o mapa, no mínimo convém...

Rio de Janeiro a 360 graus

Três horas o separam do melhor panorama sobre a capital do Carnaval brasileiro: o tempo que levará para subir à...

O futuro da gastronomia já está aqui

Quem precisa de frigideiras quando tem uma impressora 3D? Foi a pergunta que se fizeram os criadores do restaurante Food...

VSS Unity, rumo ao espaço

Stephen Hawking foi quem deu nome à espaçonave que levará seis felizardos turistas às estrelas. A VSS Unity foi apresentada...