>>>Em Porto Rico, escalar não é só para corajosos

Em Porto Rico, escalar não é só para corajosos

Dos dois tipos de pessoas que há no mundo: existem os que gostam de contemplar uma montanha e as que preferem subi-la. Em Porto Rico, os que gostam de subi-las farão ótimas escaladas e os que não gostam, encontrarão um boa oportunidade para começar.
Arnês, cordas, tênis apropriados e equipamento de segurança. As ferramentas técnicas são as mais simples de se conseguir entre tudo o que se precisa para escalar. O resto – coragem, esforço e vontade de superação – custa um pouco mais. Há quem considere a escalada em rocha semelhante ao scrambling, a subida por montanhas rochosas, geralmente sem cordas. Porém, ao contrário do scrambling, na escalada em rocha as mãos não servem só para conseguir obter o equilíbrio, são também precisas para suportar o peso do corpo. A escalada exige um grande esforço físico e mental, onde a resistência e a agilidade estão constantemente à prova.
Se tropeçar, na modalidade deep water soloing, cairá diretamente na água
Jim Aikman

A mochila de um bom escalador

O material básico para escalar inclui arnês, cordas, capacete, mosquetões, pés de gato e o gri gri, um elemento de segurança que permite o bloqueio da corda em caso de queda. Além disso, precisará de magnésio para secar o suor das mãos e evitar os escorregões, bem como de um kit de primeiros socorros para eventuais situações de emergência.

Graças ao seu clima, Porto Rico é o destino ideal para se iniciar neste estimulante esporte ou para melhorar esta técnica. Os melhores meses para escalar são março e abril. Evite as chuvas do fim de setembro, de outubro e de dezembro, porque para praticar escalada é aconselhável que as rochas não estejam escorregadias. Em toda a ilha é possível praticar os três tipos mais populares de escalada em rocha: na escalada esportiva utilizam-se proteções fixas, que seguram a corda; a escalada de blocos de pedra, ou bouldering, consiste em subir em blocos com menos de dois metros de altura; a mais arriscada é a psicobloc, ou deep water soloing, que está reservada exclusivamente a profissionais, uma vez que consiste em escalar falésias sobre a água, sem nenhuma medida de segurança. A água, aliás, é a única que amortizará uma potencial queda.
Em Porto Rico existem vários locais para escalar livremente, mas recomenda-se que o faça sempre acompanhado. Também pode contratar roteiros ou cursos em diversas empresas, como a Climbing PR. E na eventualidade de nem sequer saber onde colocar as pernas no arnês, estas empresas também organizam aulas para principiantes. Você poderá escolher entre qualquer um dos itinerários definidos em San Germán, Ponce, Juncos, Cayey, Ciales ou no parque eco turístico Toro Verde, desde que observadas as especialidades de escalada e os níveis de dificuldade, que variam de acordo com o lugar escolhido. Bayamón possui uma das maiores áreas de escalada esportiva da ilha e oferece uma centena de roteiros dentro do Parque Nacional Julio Enrique Monagas. O único problema é que a paisagem poderá distraí-lo. Concentre-se e mantenha os olhos na rocha.
O verde da paisagem porto-riquenha pode ser uma distração

Artigos relacionados

Viaje à ‘Guerra dos Tronos’

A sexta temporada “is coming”. Em 24 de abril volta à pequena tela uma das séries mais esperadas. Quer saber...

O caminho mais perigoso do mundo

Construído nas rochas do Desfiladeiro dos Gaitanes e, posteriormente, abandonado, o Caminito del Rey acabou tornando-se uma lenda.

Um passeio por terras altas

Lagos, picos nevados e, o melhor, os habitantes locais serão os seus companheiros ao longo deste roteiro de 120 quilômetros...

Um safari dentro da cratera

Visto de cima parece a marca de um enorme meteorito que atingiu a terra. Contudo, em vez de destruir o...