>>>Sino expatriado

Sino expatriado

Testemunha de uma tragédia que marcou a história da Rússia, a cidade de Uglich, a 250 quilômetros ao norte de Moscou, destaca-se por suas igrejas coloridas.
O

destino do sino da igreja de Uglich foi parecido ao de qualquer rebelde: cortaram sua “orelha” (alça superior) e a “língua” (badalo) por “discursos insurgentes”. Foi açoitado publicamente ao lado de outros desordeiros (humanos) e, depois, exilado na Sibéria. Seu delito? Tocar depressa em sinal de dor pela morte do czaréviche (filho do czar) Dmitri, no dia 25 de maio de 1591. O regente Boris Godunov, cuja mão de ferro não fez discriminações entre humanos e objetos, considerou que seu ecoar era uma chamada à insurreição.

A forma mais comum de visitar o Anel de Ouro é embarcar em um cruzeiro pelo rio Volga.

Esplendor imperial

Uglich faz parte do Anel de Ouro da Rússia: zona formada pelas cidades que foram as mais importantes da região durante a Idade Média, como Plyos ou Rostov. Estes municípios que rodeiam Moscou escondem magníficas construções históricas como conventos, mosteiros e igrejas.

O certo é que a morte do filho mais novo de ‘Ivan, o Terrível’ provocou tal rebelião que os anos posteriores foram oficialmente chamados de Tempo das Dificuldades. Alguns consideraram que tinha sido assassinado e ergueram as armas, embora testemunhas afirmem que cravou uma faca no pescoço durante uma convulsão epiléptica. No lugar onde seu corpo foi encontrado, ergueu-se a igreja de São Demétrio do Sangue Derramado. Hoje, é um dos principais pontos de peregrinação para os russos que são cristãos ortodoxos. Quando a dinastia Romanov chegou ao poder em 1613, pondo fim a esse turbulento período, transformou o jovem czaréviche em mártir, ordenando a construção do templo em sua homenagem.

São Demétrio do Sangue Derramado fica no interior do Kremlin de Uglich, cidadela erguida com o tradicional estilo russo marcado por cores intensas e igrejas ortodoxas com cúpulas em forma de cebola. A partir de um dos edifícios deste complexo, foi construída, em 1713, a catedral da Transfiguração do Salvador. O lugar destaca-se pelo contraste entre o tradicional exterior russo e os afrescos interiores mais próximos do Renascimento italiano.

Muitos monumentos do Anel de Ouro, como a catedral da Assunção de Rostov, são considerados Patrimônio da Humanidade.

Do outro lado do rio Volga, a igreja da Natividade de São João Batista foi encomendada por um comerciante, cujo filho havia se afogado nesse ponto do rio. Ao longo dos anos, foram sendo construídos muitos outros templos, como a catedral da Ressurreição e a igreja da Assunção. As cúpulas coloridas de todas elas conferem uma vista bastante original ao skyline de Uglich.

A construção de uma barragem inundou centenas de casas.

Cidade dos museus

Muitos dos edifícios do Kremlin de Uglich são atualmente museus sobre os costumes e a história da Rússia. O Palácio do Príncipe, onde morou o filho do czar, é um desses lugares. O Museu dos Mitos e das Superstições do Povo Russo percorre as lendas e os contos mais célebres do país, fazendo referência a festas e tradições regionais. No Museu da História da Vodka, é possível ver como a bebida é fabricada e conferir garrafas antigas. Já o Museu da Infância do Século XIX conserva brinquedos do período pré-revolucionário, como aqueles com os quais brincava o pequeno czaréviche, indiferente ao que sua trágica morte causaria.

Assim, após um longo exílio, o sino voltou ao seu lugar e, hoje, “recebe” os visitantes da cidade.

Artigos relacionados

Onde o frio nasce

No leste da região russa da Sibéria, os termômetros costumam rondar os 50°C negativos. Trata-se de uma estepe branca onde...

A ilha das igrejas de madeira

Os templos e casas de madeira da ilha de Kizhi, ao norte do lago Onega, na Rússia, venceram a luta...

Uma ilha feita à mão

A febre pelo D.I.Y (do it yourself) não é nova. Séculos antes de nascerem Pinterest e os tutoriais de Youtube,...

A capital asiática do design

A pequena cidade de Taipé, em Taiwan, será, durante 2016, a Capital Mundial do Design. Mas, na verdade, a cidade...