>>>Os vegetarianos comem o mundo

Os vegetarianos comem o mundo

Na era da alimentação responsável, os restaurantes, supermercados e festivais veggie-friendly multiplicam-se com propostas deliciosas que farão ceder até mesmo os mais carnívoros.
A Organização Mundial de Saúde aconselha, no seu último relatório, a redução do consumo de carne na nossa dieta e o aumento do consumo de legumes. A tendência vegetariana consolida-se com mais de 600 milhões de pessoas que já fazem parte deste estilo de vida. Acompanhe-nos pelas cidades mais veggie-friendly do planeta e descubra a vida com mais sabor.
Nova Iorque – A cidade dos sonhos verdes
Considerado, em 2014, segundo a organização animalista PETA, o lugar mais veggie-friendly do mundo, possui mais de 140 restaurantes vegetarianos ou veganos e até uma escola pública com menu veggie. Dirt Candy, o restaurante da chefe Amanda Cohen, representa a evolução da tendência vegetariana nova-iorquina. Se pretende uma mesa no restaurante procure reservá-la com tempo uma vez que só há nove disponíveis. Além disso, Nova Iorque tem o seu próprio Vegetarian Food Festival, cuja próxima edição ocorrerá de 7 a 8 de maio de 2016.
Café-da-manhã inglês vegano no The Gallery Cafe
Foto: Amanda Stockley

Nem só de alface vive o vegano

Vegano não é sinônimo de aborrecido. Em Viena, a Sorveteria Veganista encarrega-se de sepultar mitos através do incrível sorvete 100% vegano, fresco, artesanal e delicioso. Sorvetes cremosos, elaborados com leite de aveia, arroz e soja.

Berlim – Paraíso urbano-vegano
A capital alemã gaba-se de ter a primeira cadeia de supermercados veganos da Europa: Veganz. Uma forma de democratizar os produtos orgânicos e ecológicos, considerados quase um luxo. Na sua faceta veggie mais divertida, o restaurante Yellow Sunshine Burguer oferece a versão vegana da famosa currywurst berlinense (salsicha alemã condimentada com caril). A Alemanha possui já, segundo dados da União Vegetariana Alemã, sete milhões de vegetarianos e um milhão e meio de veganos. Números que ajudam a compreender o florescimento de todo o tipo de negócios baseados no respeito pelos animais, como a loja de acessórios Avesu.
Londres – O reino vegetariano mais antigo da Europa
A cultura vegetariana londrina remonta a 1849, ano em que se fundou a Sociedade Mundial Vegetariana. O English breakfast, em versão vegana, do The Gallery Cafe permite desfrutar deste prato lendário com zero de proteína animal. E para o brunch, The Gate é parada obrigatória na manhã de domingo. É fácil encontrar produtos veganos nos supermercados londrinos. Estão assinalados com o rótulo da Vegan Society.
Veganista tem sorvetes com baixo índice glicêmico para diabéticos.
Tóquio – Muito mais do que sushi
Na capital nipônica encontram-se duas tradições vegetarianas muito populares: a shojin ryori (a cozinha dos monges budistas) e a cozinha macrobiótica. Trata-se da cidade com maior número de restaurantes vegetarianos e veganos do mundo e é o lugar perfeito para desfrutar do tofu, o produto estrela. O café Eat More Greens salienta-se pelos seus tacos veganos e pela torta de nozes pecã.
The Vegetarian Butcher está aberto há nove gerações
São Francisco – A grande festa dos legumes
Tornou-se noutro dos paraísos veganos por excelência, anfitriã do festival vegetariano mais importante do mundo: o World Veg Festival. O restaurante Millenium, que oferece comida vegana gourmet, é um dos imprescindíveis com o seu famoso Brownie Sundae Mole picante. Por outro lado, um clássico onde pode ir é o Seed+Salt que, além de oferecer uma cozinha vegetariana rica e sem glúten, oferece-lhe atendimento personalizado se estiver fazendo alguma dieta especial.

Artigos relacionados

Entregue-se aos prazeres da mesa em Modena

Além do seu vinagre, Módena propõe uma infinidade de pratos para um fim de semana gastronómico. Alguns estão no melhor...

Onde Robinson Crusoé virou turista

Piratas, tesouros, presos, exilados e colonos. Aventuras recriadas por Daniel Defoe. O espírito de seu personagem mais lembrado, Robinson Crusoé,...

Solteiro sim, sozinho nunca

Solteros, separados, divorciados o viudos, seas la clase de ‘single’ que seas, viajar sin pareja nunca había sido tan excitante.

A ilha que não conquistou Napoleão

Patria de exiliados, como Napoleón, la isla de Santa Elena es hoy es un paraíso subtropical ideal para submarinistas. Su...