>>>Onde Deus pôs o Oeste

Onde Deus pôs o Oeste

Utah e Arizona compartilham o Monument Valley, mas este há de sempre pertencer a John Ford que, mesmo não tendo o gatilho mais rápido do Oeste, conseguiu conquistá-lo.
C
omo as estrelas de Hollywood, o Monument Valley deveria ter um representante. É veterano em “desfilar” em frente das câmaras. Em 1939, momento em que John Ford estreava A Cavalgada Heróica, o western não passava pelo seu melhor momento. O cineasta propôs-se a elevá-lo aos altares da cinematografia e converteu numa vasta e poeirenta planície no seu set particular até 1964. Foi-se embora com nove filmes debaixo do braço. Hoje em dia, o Monument Valley é um dos lugares mais fotografados do mundo.
“The Three Sisters” é uma formação que lembra uma freira e as suas duas pupilas. John Wayne brincava dizendo que formavam um W em sua honra.

Um sopro foi dado a Ford

Harry Goulding era um comerciante com terras em Monument Valley. Devido às calamidades que os navajos sofriam, consequência da Grande Depressão, viajou para Los Angeles em busca de um cineasta que filmasse ali. Convenceu John Ford e o resto é a História do cinema. Hoje, Goulding’s Lodge, hotel e museu, recorda-o e continua a receber visitantes.

“Se amavas John Ford, ele fazia com que esse amor se voltasse contra ti”, afirma Glenn Frankel, vencedor do Pulitzer e autor do livro The Searchers, baseado em Rastros de Ódio. E ainda que Ford tenha caído no clichê de Hollywood com Katharine Hepburn, a sua relação amorosa mais badalada teve-a com o cinema e, particularmente, com o Monument Valley. Aqui se sentava na sua cadeira de produtor, com a sua pala no olho e armado do seu gênio irritável. Mas o seu lar em filmagens não o pode censurar, nunca sofreu a sua ira porque, segundo ele, era “o lugar mais completo, belo e tranquilo da terra”. Um mar de areia avermelhada interrompido por planaltos isolados, elevações e monólitos de areia que se elevam até aos 300 m. É “onde Deus colocou o Oeste”, acrescentaria o seu ator fetiche John Wayne, “o mais duro” destas paradas.
 
A milha 13 da US 163 é o ponto exato onde Forrest Gump deixou de correr.

O estúdio mais poeirento

O primeiro western de Monument Valley não tem o carimbo de John Ford, mas o de George B. Seitz, que dirigiu Alma Cabloca em 1925. Outros títulos filmados aqui são De volta ao Futuro III (1990), Thelma e Louise (1991) e O Cavaleiro Solitário (2013).

O Monument Valley Navajo Tribal Park faz parte da nação navajo, a maior reserva de índios norte-americanos nos Estados Unidos da América. Chega-se aqui pela famosa estrada US 163, tão reta e comprida que até o Forest Gump se cansou de correr por ela. As suas formas caprichosas começaram a ser esculpidas há milhões de anos pela contínua erosão da água e do vento. Aventurar-se pelo “Far West” vai mais longe do que procurar pelo caminho uma “nuvem do deserto”, traduzido por “essa mítica bola de palha seca rolante” tão própria dos filmes de cowboys. Hoje, a experiência mais aventureira é percorrer de jeep, com um navajo como guia, os 27 km de Valley Drive, um caminho poeirento sem asfalto. Os navajos vivem do turismo, mas não querem uma estrada pavimentada dentro do parque, porque isso levaria ao turismo massificado.
O Monument Valley Navajo Tribal Park atinge 372 km².
Graças à profundidade do campo, formações como The Mittens (As manoplas), Camel Butte (O camelo), The Three Sisters (As três irmãs), o The Thumb (O polegar) transformaram-se em mais uma personagem dos filmes de Ford. Testemunhas mudas das estradas da sétima arte da cavalaria ao som do trompete em Forte Apache e Os Dominadores.
E melhor que uma estrela na Calçada da Fama é ter um mirante com a melhor vista panorâmica do vale. John Ford’s Point é um dos lugares mais concorridos: uma rocha na borda de um planalto que também serviu durante anos como cartaz da marca Marlboro. Nesta homenagem natural ao grande cineasta, apelidado de Natani Nez (“líder alto”) pelos navajos, pode fotografar um cavaleiro solitário que se instala diariamente para alegria dos visitantes. É possível também simular Wayne durante meia hora no dorso de um cavalo, agora sem ser perseguido pelos comanches. Deus pôs o Oeste no Monument Valley, mas foi Ford que se encarregou de difundir a boa nova. Com música e um fundo negro.
 

Artigos relacionados

Visite Westworld sem gastar 40.000 dólares por dia

Nova série do canal HBO leva você do futuro ao faroeste. Humanos se misturam com robôs em um mundo sem...

No encalço das luzes do sul

As luzes do norte parecem ser um fenômeno único, mas suas vizinhas do sul concorrem com elas em iguais condições...

“Queria fazer parte da paisagem”

O fotógrafo argentino percorre o mundo há mais de dez meses com a Atenea, a sua moto Royal Enfield. Já...

Dançando nas ruas de Havana

Dizem que as cidades refletem a alma de seus moradores. E o fotógrafo Omar Z. Robles escolheu bailarinos em plena...