>>>O amor de Julieta

O amor de Julieta

Depois de cinco séculos, a história de amor de Shakespeare continua a inspirar uma multidão de namorados. Descubra-o no número 23 da Vía Capello, em Verona.
H
á poucos cenários tão românticos quanto a famosa varanda da casa de Julieta para nos fazer recordar daquele resplendor que abria passagem através da janela. Dali, Montesco e Capuleto confessaram o seu amor, com a lua como único testemunho. Tanta paixão continua a inspirar namorados de todo o mundo, que escolhem Verona, a cidade dos amantes desgraçados, como destino para as suas férias. E ali, como não podia deixar de ser, é visita obrigatória a varanda onde assomava Julieta e onde Romeu lhe prometia amor eterno. Logo depois de entrar na casa, encontrar-se-á com uns sem fim de cartões com mensagem de amor, escritas em todas as línguas, inundando as paredes e os corredores da casa.

‘Overbooking’ de cartões

Os turistas deixam tantos cartões de amor na casa de Julieta que a Câmara de Verona tem de os retirar duas vezes por ano: na véspera de São Valentim e no dia 17 de setembro, dia do aniversário de Julieta. Atualmente pensa-se na possibilidade de se abrir um museu para expor todos os cartões.

Apesar do perigo de quebrar todo este romantismo, temos de lhe contar a verdade: na obra original de Shakespear não consta a fabulosa varanda. Apenas foi recriada, mais tarde, nas representações originais. A varanda e a famosa janela gótica tampouco são originais, simplesmente se juntaram à casa de Verona, nos princípios do século XX. A casa é um palácio do início do século XII, que pertenceu a uma família veronesa de apelido “Dal Capello”, como poderá ler no emblema que está na fachada. Foram as datas e o apelido “Capello” que fez com que nascesse esta crença popular de que a casa pertencia à Julieta de Shakespeare.
Se ainda não encontrou a sua metade da laranja, não se preocupe: conta a lenda que para encontrar o amor verdadeiro deve tocar o peito direito da Julieta de bronze que está debaixo da varanda. E, se já o encontrou, por que não demonstrar que se querem tanto como Romeu e Julieta celebrando um casamento civil na varanda mais famosa de Verona?

À procura de Romeu

Muito perto da casa de Julieta, na Vía Arche Scaligere 2-4, está a casa Montecchi, atribuída a Romeu, um edifício medieval que não pode deixar de visitar por dentro. E não deixa de ser curioso que Shakespeare tenha recriado na perfeição esta lenda de amor, em Verona, uma cidade que nunca visitou.

Todos os anos Verona torna-se na cidade mais visitada de Itália, à frente de Veneza, Florença e Roma, numa data muito concreta. Imagina qual é? Exatamente: 14 de fevereiro (dia dos namorados na Itália). No entanto, recomendamos-lhe que fique uns dias a mais e se deixe seduzir pelos encantos desta cidade do norte da Itália. Assim, poderá visitar a Piazza delle Erbe, um antigo fórum romano que hoje é a praça mais conhecida de Verona. Do mesmo modo não pode deixar de visitar o Arena de Verona, um dos anfiteatros mais importantes da era romana e o maior depois do Coliseu de Roma, com o qual se assemelha. Com os seus 152 metros de comprimento e 123 de largura tem capacidade para mais de 25 000 espectadores.

Artigos relacionados

Volta ao mundo em cinco romances

Qualquer viajante leitor sentirá prazer tanto ao ler histórias ambientadas em seus próximos destinos como em se perder por ruas...

Londres tem uma cor especial

E não é precisamente o cinza. Leve um guarda-chuva (é melhor estar precavido) porque embora o dia ameace com mau...

O estranho caso do gene do viajante

O DNA é o responsável pela cor dos nossos olhos. Mas será que um único gene define o modo como...

A máscara é a vida

O FESTIMA, um festival dedicado às máscaras africanas, com desfiles e danças rituais, é realizado de dois em dois anos...