>>>Las Vegas aposta no amor

Las Vegas aposta no amor

É possível visitar a ‘cidade do pecado’ sem cometer nenhum: nem casar-se fantasiado de Elvis, nem jogar tudo na roleta. Impossível é aborrecer-se ou não estar bem acompanhado.
Las Vegas não é Paris, nem Veneza, mas o amor guia até lá milhares de pessoas. Todos os anos, na cidade dos cassinos, emitem-se mais de 100 mil licenças de casamento, o que significa que, por dia, quase 300 casais escolhem esta cidade para dizer ‘sim, aceito’. O amor brilha num letreiro de néon e, nos cassinos, aposta tudo no ás de coração.
Os casais que viajam para Las Vegas, porque acreditam que chegou o momento da relação passar pelo altar, não precisam procurar uma capela para se casarem. Eles podem trocar alianças dentro ou perante o aquário do Hotel Silverton ou jogando minigolf ao ritmo do grupo de rock Kiss, no Hotter than Hell Wedding Chapel. Os amantes apressados têm a possibilidade de se casarem no drive-thru, sem sequer sair do carro.
Slotzilla passa mesmo por debaixo do Viva Vision, na Fremont Street

As cidades do amor

Uma viagem a Las Vegas inclui uma visita a Paris e a Veneza. O Hotel Paris tem uma reprodução da Torre Eiffel com 165 metros de altura, metade da original; e no The Venetian pode dar um passeio romântico pelos seus canais, com o gondoleiro incluído.

Dizem que quando se quer mesmo outra pessoa, esse querer é válido na saúde e na doença. Aqueles que a este dizer juntam a frase ‘na terra e no céu’, escolhem Slotzilla para se casarem, uma tirolesa que atravessa a Fremont Street por debaixo da pantalha Viva Vision, a maior tela de vídeo do mundo. Porém, os casamentos de altos voos têm como palco preferido o Sky Combat Ace, um avião de combate para culminar um romance em estilo Top Gun. Os noivos vão acompanhados por um piloto profissional para que o casamento não acabe antes do tempo. De outro modo, a queda seria semelhante à queda livre, controlada a partir do 108º andar do Hotel Stratosphere. Este é o local que outros casais escolhem para se unirem em casamento: uma descida de 260 metros, para pensarem bem no assunto.
Os que não desejam a adrenalina como padrinho de casamento, escolhem um jantar romântico em frente às fontes do Bellagio, no bistrot, de comida francesa Mon Ami Gabi, e terminam a noite no Chandelier Bar do Hotel Cosmopolitan. Contudo, no infinito jogo do amor os festejos não encerram com a chegada do dia. Em Las Vegas a festa continua ao brunch com o bottomless ou boozy brunch e com o bar aberto. A Party Brunch do LAVO, no Hotel The Venetian, inclui waffles, tortas, champanhe, confetes e D’js. É claramente a melhor maneira de continuar a festa. Ou de começá-la! Até porque já se sabe que “o que acontece em Las Vegas, fica em Las Vegas”.
Sky Combat Ace permite-lhe pilotar aviões de combate
No restaurante LAVO o brunch é uma festa

Artigos relacionados

Entregue-se aos prazeres da mesa em Modena

Além do seu vinagre, Módena propõe uma infinidade de pratos para um fim de semana gastronómico. Alguns estão no melhor...

Festejando como Gatsby

El personaje creado por Scott Fitzgerald hubiera sido el perfecto anfitrión de la Jazz Age Lawn Party: un ‘viaje’ a...

Sobre as serpentes de Kerala

No sul da Índia, a água dos lagos dança ao ritmo dos remos. São as regatas de barcos de Kerala,...

A capital asiática do design

A pequena cidade de Taipé, em Taiwan, será, durante 2016, a Capital Mundial do Design. Mas, na verdade, a cidade...