>>>Jordânia: reinos perdidos, lagartos azuis e gladiadores

Jordânia: reinos perdidos, lagartos azuis e gladiadores

Transformar-se em Indiana Jones é só o início. As crianças adoram histórias e a Jordânia está cheia delas: reais e inventadas, todas são fascinantes.
C

olocar um chapéu de explorador, surfar sem ondas, pintar as mãos com henna ou ver uma batalha de centuriões romanos. Qualquer criança ficará feliz ao entrar nesta terra de castelos e desertos que tem dois mares: um para mergulhar e outro para flutuar. Um apelo à aventura e à imaginação que transforma a Jordânia em um destino para toda a família. Um país com muitas idades, para todas as idades.

Amã é um bom ponto de partida para um primeiro contato com a hospitalidade e os costumes jordanianos. É imprescindível subir até a Cidadela – sua colina mais alta, com quase 900 metros -, onde as crianças jordanianas se reúnem para empinar pipas compradas de vendedores ambulantes. Podemos nos juntar a eles ou tomar um sorvete junto ao anfiteatro romano, vendo o entardecer das alturas.

 

Qasr Al-Kharrana
Cerca de vinte “Castelos do Deserto” ainda são conservados, embora nem todos tenham sido refúgio de cruzados.

À procura de Nemo

Para tomar banho no Mar Vermelho, o melhor é ir a Aqaba, uma movimentada cidade portuária. Ali, poderemos mergulhar ou praticar snorkel entre ouriços-do-mar e peixes coloridos. Se as crianças forem pequenas para mergulhar, existe um tour para conhecer o fundo do mar a bordo do submarino Neptuno, que oferece vistas únicas de corais, tartarugas e até de barcos afundados.

Outra aposta segura é o Museu das Crianças, onde arte e ciência se misturam, há mais de 150 atividades interativas e ainda se pode ir a um teatro ao ar livre. Para repor forças e continuar o percurso, recomenda-se a Rainbow Street, uma das ruas mais concorridas da cidade. Não perca o sanduíche de faláfel e a batata frita do restaurante Al-Quds.

Perto de Amã, fica Jerash, onde se pode viajar no tempo até a Roma dos centuriões. As ruínas romanas são as mais bem conservadas do Oriente Médio, com colunas, templos e calçadas que conduzem a um grandioso anfiteatro. As crianças ficarão entusiasmadas com o espetáculo que é oferecido duas vezes ao dia e que reproduz cenas que parecem saídas dos filmes “Ben-Hur” ou “Gladiador”. Centuriões com escudos, corridas de carros romanos e combates de gladiadores onde “só um pode vencer”.

Starry skies in the Wadi Rum
É mais prático se deslocar de carro devido ao tamanho do país e à qualidade das suas estradas.

Deixando para trás os centuriões, entra-se no universo das cruzadas. As histórias são sempre fáceis de contar quando os cenários originais permanecem. E no meio do caminho entre Amã e Petra, ficam os chamados Castelos do Deserto, onde se destaca o de Karak, antiga fortaleza e cenário da batalha do rei Saladino. As torres, os túneis e as passagens de Qasr al-Kharrana e Qasr al-Azraq também fazem sonhar com espadas e guerreiros.

Family in the Wadi Rum desert
Em Petra e Wadi Rum, é preciso levar água fresca, protetor solar, boné e algo para comer.
Foto: VisitJordan.com

Nossa história se detém em uma das maravilhas da Jordânia (e do mundo): Petra, antiga cidade dos nabateus que esconde o tesouro al-Khazneh, famoso templo no Desfiladeiro da Meia-Lua onde Indiana Jones encontrou o Santo Graal na “Última Cruzada”. Petra é enorme e o melhor é percorrê-la de carroça, camelo ou burro. Estes transportes são oferecidos pelos beduínos, presentes em toda a cidade. Um plano alternativo durante a visita são as aulas de culinária no Petra Kitchen, forma divertida de conhecer, ao mesmo tempo, uma gastronomia e uma civilização diferentes.

Em Wadi Rum, é interessante explorar seus gigantescos desfiladeiros e suas pontes rochosas, geografia de outro mundo onde Lawrence da Arábia lutou e as velhas tribos beduínas guardavam seus segredos. Depois de percorrer esta paisagem marciana em um 4×4, é possível “surfar” em intermináveis dunas com uma prancha de sandsurfing, acabando o dia hospedado em um autêntico acampamento beduíno. Dali também é possível chegar ao Mar Morto. Flutuar a 400 metros abaixo do nível do mar pode ser tão excitante como acampar nas areias vermelhas do deserto.

Artigos relacionados

Um passeio por Roma… na Jordânia

Brilhou, fez história e desapareceu. Jerash, cidade descoberta sob a terra, conta com as ruínas romanas mais bem conservadas do...

Aqaba: mundo debaixo d’água

Mesmo pequeno, o litoral da Jordânia possui um enorme tesouro marinho. Aqaba se debruça sobre um mar Vermelho formado por...

Amã, nas colinas do tempo

Moderna e tradicional. Tranquila e agitada. Os opostos se encontram em Amã, onde o ruído das ruas faz com que...

#Jordânia com olhos de instagrammer

Não há selfie que resista ao deserto de Wadi Rum, um dos lugares mais fotogênicos do país. Além de Petra,...