>>Kathrin Ernest

Kathrin Ernest | Profesora de ‘kitesurf’

“As Ilhas Maurício são o oposto à vida apressada”

A instrutora de kitesurfe Kathrin Ernest revela os melhores lugares para praticar atividades náuticas nas Ilhas Maurício, um dos destinos preferidos dos esportistas no oceano Índico.

Texto: Guadalupe Rodríguez | Fotografias: Kreativa Visual and Shutterstock | Vídeo: Kreativa Visual

Q

uando entrou na adolescência, a alemã Kathrin Ernest se tornou ginasta e globetrotter. Trabalhou em lugares como Austrália, Egito, Espanha, Estados Unidos, Grécia e Holanda antes de estudar esporte na Universidade de Colônia, em seu país de origem. Mas foi quando decidiu se estabelecer nas Ilhas Maurício que deu o grande salto qualitativo da sua vida: constituiu família e montou a empresa KiteGlobing, que lhe permite praticar sua grande paixão – o kitesurfe – todos os dias.

Por que decidiu viver em Maurício?

Maurício é uma pérola no oceano Índico. Uma ilha verde e tranquila onde muitas culturas convivem em harmonia. O espaço é pequeno, mas não está abarrotado. Se comparada a uma grande cidade alemã, onde a vida é mais apressada, é exatamente o contrário, e é disso que mais gosto.

Há boas condições para a prática de esportes aquáticos?

A água é morna o ano inteiro. Nunca fica abaixo de 22ºC. Em dezembro, chega a 26ºC ou 28ºC. O vento é constante e chega a ser forte em determinados meses. Contudo, mesmo sem vento, é possível praticar diversos outros esportes aquáticos. Os mais comuns são surfe, kitesurfe, windsurfe, snorkeling, mergulho e pesca.

O kitesurfe, esporte no qual se desliza pelo mar apoiado em uma prancha e puxado por uma pipa (kite), pode ser praticado por qualquer pessoa ou é preciso ter experiência?

Todas as pessoas podem praticar kitesurfe: dos 6 aos 70 anos de idade (ou até mais). Isso porque exige mais técnica do que força e seus equipamentos se adequam ao peso e ao tamanho de cada um. Nas Ihas Maurício, também há condições ideais para o kite wave em mar aberto – ou seja, praticar kitesurfe onde há ondas, além dos recifes. Mas quem está começando pode ficar na área da lagoa sem problemas, já que a barreira de corais a protege do mar, a profundidade é perfeita e não é preciso usar roupa de neoprene. É só ir e experimentar.

O kitesurfe exige mais técnica do que força e, por isso, pode ser praticado por todos
Além de sua zona de recifes, Maurício reúne excelentes condições para os adeptos do kite wave.

Quais são as zonas de Maurício mais adequadas para esportes aquáticos?

O sudoeste e a costa leste são ótimos para esportes que precisam de vento: o primeiro o ano inteiro e, o segundo, durante o inverno local. Tamarin e o litoral oeste são ideais para surfe e mergulho. Já a região leste ao redor de Belle Mare e Palmar também é muito bonita para mergulhar e fazer snorkeling.

Você explora a ilha com frequência?

Sim, já conheço bem as Ilhas Maurício, mas sempre volto ao sul por suas paisagens bonitas e variadas. Ali, é possível ver de montanhas a plantações de cana-de-açúcar. Também gosto de dirigir pelo litoral leste, indo para o sul a partir de Palmar.

As águas que rodeiam as Ilhas Maurício são mornas ao longo de todo o ano.

Para você, que atração merece mais atenção dos viajantes nas Ilhas Maurício?

A comida. Recomendo que todo mundo viaje às Ilhas Maurício e experimente seus pratos típicos. Isso pode ser feito tanto em barraquinhas de rua como em bons restaurantes.

Kathrin Ernest dedicou sua vida ao estudo e à prática de esportes.

Quais são seus conselhos para quem vai visitar as Ilhas Maurício?

Ir à praia, subir montanhas, conhecer templos, passear pelos mercados de Port Louis (capital de Maurício) e visitar lugares como Chamarel, com dunas naturais de areias coloridas. Também recomendo viagens para fazer mergulho, excursões para ver golfinhos e a prática de esportes aquáticos, por exemplo surfe e kitesurfe. E o principal: não ter medo de conversar com as pessoas de lá. Viajar com crianças é muito seguro.

Endereços úteisCompartir

Bel Ombre, C Beach Club Belle Mare
Making of
Outros Passengers 6A
Federico Sánchez
Arquiteto
“O homem não existe nu”
Ler entrevista >
Virgilio Martínez
CHEF E EMPRESÁRIO
“É preciso experimentar todos os sabores de Lima”
Ler entrevista >
Gaggan Anand
Chef do restaurante Gaggan
“Não escolhi Bangkok, foi o destino”
Ler entrevista >