>>>Cinco lugares perfeitos para uma despedida de solteiro

Cinco lugares perfeitos para uma despedida de solteiro

Goste ou não haverá sempre uma despedida de solteiro para você ir. É apenas uma questão de saber procurar. Em Budapeste, para os festeiros, em Cognac, para os tranquilos ou, no inverno irlandês, para os freaks.
Peter James começa o romance negro Dead simple com um personagem enterrado vivo pelos amigos, como vingança às desastradas despedidas de solteiro que ele lhes organizou. Ninguém pretende ser este personagem. Por isso, a prudência recomenda que quando preparar uma despedida de solteiro tenha em mente que o próximo acidente nupcial poderá ser o seu.
Uma despedida de solteiro reúne, em média, entre oito a doze amigos, geralmente com idades entre os 28 e os 32 anos, que se conhecem bem. A melhor forma de acertar no tipo de despedida de solteiro que se pretende fazer é começar por colocar uma pergunta ontológica: quem somos? E a seguir tentar definir o que queremos fazer e qual o melhor local para o fazer.
The Dark Hedges, perto da localidade de Armoy, é o “Caminho do rei” na Guerra dos Tronos.

Para os que querem tudo

Em Miame tem. Começando por South Beach pela manhã e continuando pelo mítico Ocean Drive, onde Sonny Crockett perseguia os maus. À noite, comece na Nikki Beach, um dos clubes noturnos mais famosos do mundo, e termina na Downtown Miami com os primeiros raios de sol.

1. Por sorte, a pacífica Budapeste transforma-se no território daqueles que sabem desfrutar com estilo. Para começar bem a noite, há os bares das ruínas, edifícios abandonados reciclados, onde em cada sala existe um ambiente próprio, djs diferentes, muita arte e uma decoração eclética. O mais solicitado é o Szimpla Kert mas o mais típico do local é o Instant. Porém, a verdadeira festa está no Cinetrip  e nos seus Banhos Mágicos: balneários clássicos convertidos em boates com djs, laser e pouco autocontrolo dentro da água.
2. Os que preferem chegar intactos ao casamento podem decidir-se pelo território mapuche, ao sul do Chile. O vulcão e o lago Villarrica oferecem muitas oportunidades para passeios de barco, pesca, compartilha da paz dos nativos e outras atividades recreativas boas para a pele. É recomendável reservar um dia completo nas Termas Geométricas , um conjunto de pontes e piscinas termais encaixado na selva, que o coloca no meio do caminho entre o Parque Jurássico e o mais zen dos bosques japoneses.
Em Las Vegas, o Champagne brunch da LAVO realiza-se aos sábados, das 14:00 às 18:00, no hotel The Palazzo.
3. Uma escolha interessante para os seriéfilos é deixar-se perder entre os bosques e as ribeiras do Poente de A guerra dos tronos. Está situado ao norte da Irlanda do Norte, onde gravaram todas as partes que aconteciam na ‘Invernália’, o castelo dos Stark, que na vida real é o Castelo de Ward. Aqui pode-se disfarçar de senhor ou soldado, dar tiro com o arco, comer com as mãos e passear de bicicleta pelos bosques, enquanto um guia lhe mostra, no tablet, as cenas rodadas na paisagem que o circunda.
No Algarve, depois de uma noite longa, uma boa escolha é alugar um barco e fazer um percurso personalizado.
4. Outro clássico, popularizado no filme Entre uma e Outras, é a despedida de solteiro entre as vinhas. Uma escolha mais refinada do que os clássicos roteiros vinícolas é conhecer Cognac, a oeste da França. As casas que produzem a bebida com o mesmo nome organizam visitas, como Otard, localizada no Chateau de Cognac, por onde antigamente passeava a realeza e, agora, pode passear você e seus companheiros. A despedida de solteiro torna-se completamente diferente se conduzir-se 100 quilómetros em direção ao Atlântico para descansar na fotogênica ilha de Ré, fértil em casas chiques, receitas marujas, sabões artesanais e uns burros que parecem de peluche, quando os publica no Instagram.
5. Neste percurso é impossível esquecer o legado da Sin City. Antes de The Hangover a cidade já era a meca de borguistas, como Sinatra e o seu Rat Pack. Agora podem contratar tours do filme, subir à torre Stratosphere, aderir a um brunch dançante na LAVO ou visitar o Museu da máfia. Enfim, já se sabe que “o que acontece em Las Vegas fica em Las Vegas”, sobretudo se não é capaz de lembrar de nada no dia seguinte.

Artigos relacionados

O gigante sagrado do México

A rocha Peña de Bernal sempre atraiu as atenções, seja dos dinossauros, que a suportaram como vulcão, seja dos indígenas...

Volta ao mundo em cinco romances

Qualquer viajante leitor sentirá prazer tanto ao ler histórias ambientadas em seus próximos destinos como em se perder por ruas...

As ilhas do fim do mundo

No oceano Pacífico, as Ilhas Marquesas flutuam como fragmentos de um mundo perdido. Não é o paraíso dos resorts, mas...

Alemanha sobre rodas

“O segundo é o primeiro dos perdedores”, dizia Ayrton Senna. E a Alemanha leva essa máxima ao pé da letra....