>>>A mãe das águas

A mãe das águas

Seis países, 4000 anos de história e o lar de 60 milhões de pessoas. O Mekong flui por entre terras cheias de lendas.
Na China designam o Mekong por ‘rio turbulento’. Em Laos, denominam-no a ‘mãe das águas’. O Mekong é também conhecido como o rio de Buda e disso testemunham os milhares de templos erguidos nas suas margens. Navegar por este rio, a bordo de um cruzeiro, é uma experiência que enamora os sentidos e liberta a alma. Percorrer o curso completo do Mekong demoraria mais de 40 dias. Mas um roteiro de oito dias permite conhecer quatro países diferentes.
As embarcações que navegam pelo Mekong não são grandes, mas são confortáveis e luxuosas.

O rio dos nove dragões

No Vietnã, o Mekong recebe o nome de CuuLong, ‘o rio dos nove dragões’. O nome deve-se aos nove braços em que se dividia o rio antes de desaguar no mar da China Meridional. Atualmente apenas se conservam sete.

Os itinerários que sobem o rio costumam sair de Laos, onde os Watt, ou centros de oração, são uma visita obrigatória num país onde 60% da população professa a religião budista. Na passagem por este país Luang Prabang é a primeira cidade ribeirinha do rio. Os seus 32 templos e as suas construções de estilo colonial francês convenceram a UNESCO a declarar a cidade, em 1995, Patrimônio da Humanidade.
Seguindo o curso do rio encontramos a maior construção religiosa do mundo. A selva do norte do Camboja esconde Angkor, ‘a cidade do bosque adormecido’. A capital do país até o século XV acolheu Angkor Watt, a maior mostra da arquitetura do Império Jemer. Este enorme templo é de tal modo um símbolo para o Camboja que figura na bandeira do país.
O Mekong atravessa seis países: China, Birmânia, Laos, Tailândia, Camboja e Vietnã.
A viagem continua até o Vietnã. No mercado flutuante de Phung Hiep, onde se unem sete caudais do rio, é difícil saber onde acaba a terra e começa a água. Milhares de pequenas embarcações, cheias de fruta e legumes frescos da época, são um dos símbolos da identidade do Mekong. Este rio não é apenas vital para a atividade comercial da região, mas também depende dele grande parte da colheita de arroz. É conhecido também como sendo “a despensa do Vietnã”.
Com um comprimento estimado de 4880 km, o Mekong é o oitavo rio mais comprido do planeta.
O cruzeiro da companhia Pandaw navega, pelo curso alto do Mekong, até á China, onde se pode visitar o Jardim Botânico de Menglun. É um dos mais importantes centros de investigação natural da China. Conserva espécies tão curiosas como a Dancing Gras, uma planta que parece dançar em resposta à música.
Apreciar a atividade de cada uma das margens deste rio e mergulhar na história de cada um dos povos que o Mekong atravessa faz-nos viajar, no simples olhar do reflexo das águas do rio, ao longo de séculos de história.

Artigos relacionados

Texas ao natural

Nem ranchos, nem rodeos, nem botas de cowboy. Prometemos não mencioná-los para falar do Texas. O que nos resta então?...

“O Paquistão é o lugar mais espetacular onde já voei”

Cruzou os céus de mais de 40 países de parapente e foi o primeiro a voar durante uma aurora boreal....

Yorkshire, o domínio das Brontë

Passaram 200 anos desde o nascimento de Charlotte Brontë, mas os páramos do norte da Inglaterra, como em qualquer bom...

O destino na moda

São cada vez mais os turistas que viajam até ao Irão, o país d’ “As Mil e Uma Noites”. As...