>>>A costa branca da Alemanha

A costa branca da Alemanha

Rügen, a maior ilha do país germânico, esconde um extenso litoral com vista para o Báltico e que foi inspiração de artistas e refúgio de personalidades ilustres.
S
tubbenkammer era um dos lugares preferidos de Caspar David Friedrich. O pintor alemão imortalizou as paisagens desta zona da ilha de Rügen em seus quadros. “A autêntica arte é concebida em um momento sagrado, nutrida em uma hora abençoada e resultado de um impulso interior, frequentemente sem que o artista seja consciente disso”, disse. E essa hora de inspiração apoderou-se do artista, em mais de uma ocasião, quando pintava no local. A obra mais famosa desta série é “Os Penhascos de Rügen”, assinada em 1818, que reflete a particularidade desta costa: o branco quase intocado das suas rochas.
O pavilhão de caça de Granitz foi construído em meados do século XIX.

Termas-fantasma

Uma das maiores construções da Alemanha nazista é o ‘resort’ de praia Prora. Composto por inúmeros edifícios que nunca chegaram a hospedar turistas, foi abandonado à própria sorte com o início da Segunda Guerra Mundial, mesmo depois de receber um grande prêmio de arquitetura durante a Exposição Universal de 1937.

Friedrich não é o único nome ilustre associado a Rügen. Cientistas como Einstein, políticos como Bismarck e escritores como Thomas Mann também desbravaram os centros turísticos da maior ilha da Alemanha, com 974 quilômetros quadrados. No século XIX e começo do XX, era um destino habitual para a classe alta alemã. Suas termas eram a atração principal. Algumas continuam em funcionamento, entre elas o Rasender Roland, trem que conecta as cidades costeiras da região e circula a 30 quilômetros por hora porque seus trilhos têm mais de um século de existência.
Putbus é a mais antiga das cidades termais de Rügen e conta com uma arquitetura classicista que é seu melhor cartão de visitas. Mais para leste, fica o município de Binz, que abriga outra joia da ilha: o pavilhão de caça Granitz, com uma escada de caracol em seu interior com 154 degraus. Já Sellin fica a 14 quilômetros a sudeste de Binz, povoado com um cais que é ícone do litoral alemão. Tem um restaurante em seu interior e está conectado a uma ponte que mede 394 metros. Após uma grande reforma em 1998, deixou para trás a deterioração causada pelas inclemências do tempo e foi reconstruído conforme seu projeto histórico de 1927.
O complexo hoteleiro de Prora possui dez mil quartos que nunca foram usados.

Teatro ao ar livre

O festival Störtebeker dá o toque festivo aos verões de Rügen. Trata-se do evento de teatro ao ar livre mais importante da Alemanha, com um público de cerca de cem mil espectadores por ano.

Nos 574 quilômetros de costa da ilha de Rügen, há um total de 60 de praias de areia fina. Para conhecê-las a partir de outra perspectiva, uma boa alternativa é o veleiro. Outra opção é percorrer suas diferentes áreas protegidas de bicicleta ou a pé: os Parques Nacionais de Jasmund e de Vorpommersche Boddenlandschaft e a Reserva da Biosfera Southeast Rügen. Já sobre duas rodas, a ciclovia de longa distância Hamburgo-Rügen é a opção mais popular, embora haja outros trajetos sempre com o Báltico como pano de fundo. Para quem prefere uma excursão a pé, Jasmund tem um trecho de cerca de oito quilômetros junto ao penhasco. O mesmo penhasco branco que fascinou e inspirou Friedrich.
O festival de Störtebeker também é palco para a demonstração de voos de aves.
Foto: © Störtebeker

Artigos relacionados

500 anos de pura cerveja

Em abril de 1516 o duque Guilherme IV da Baviera proclamou a Reinheitsgebot, a lei da pureza da cerveja. Cinco...

“Vivo da arte”

O tenor italiano Paolo Fanale desceu do palco do Teatro da Ópera de Munique para nos acompanhar num percurso pela...

Montanha russa para percorrer a pé

Você não vai sentir a clássica subida de adrenalina, mas terá tempo para curtir a vista.

Alemanha sobre rodas

“O segundo é o primeiro dos perdedores”, dizia Ayrton Senna. E a Alemanha leva essa máxima ao pé da letra....